Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

A

ABAV
É a Associação Brasileira das Agências de Viagens - Sociedade Civil sem fins lucrativos tendo como principal objetivo congregar as Agências de Viagens, visando o intercâmbio de experiências e informações.

ABISMO
Termo utilizado para designar grandes profundidades ou penhascos. É também chamada em excursionismo de despenhadeiro.

ABIÓTICO
Sem vida. Todo componente sem vida de um ecossistema como, por exemplo, a atmosfera e as rochas.

ABROLHO
Pequenos picos ou afloramentos de rochas que aparecem próximo ao litoral, e que ficam á flor d'água.

ACESSO
São as vias de acesso que permitem o deslocamento do turista até o lugar: transporte aéreo, terrestre, marítimo ou fluvial (EMBRATUR, s.d.).

AD (AGENT DISCOUNT)
É o desconto dado ao funcionário de Empresa Aérea ou Agência de Viagens em passagens aéreas ou hospedagem.

ADEQUAÇÃO
Condição potencial de um território ou de um elemento do meio para acolher uma atividade ou uso do solo. Estimativa baseada em fatores biofísicos, sociais e econômicos.

AFFINIT GROUP
É a expressão que caracteriza a homogeneidade de um grupo que pretende se beneficiar da regulamentação IATA para receber um considerável desconto tarifário. São considerados afins os grupos constituídos por profissionais de uma empresa, sócios de um clube ou associação, estudantes de uma mesma escola, etc.

AFLORAMENTO
Toda e qualquer exposição de rochas na superfície da terra.

AGENDA 21
É o documento resultante da Conferência da ONU para Ambiente e Desenvolvimento - Eco 92; programa a ser implementado pelos governos nacionais envolvendo a criação de legislação, financiamento de projetos e transferência da tecnologia entre os países, com vistas á proteção ambiental (SÃO PAULO, s.d.).

AGENT DISCOUNT
É o desconto sobre a tarifa normal, oferecido ao agente de viagens. Também denominado AD 75, referindo-se ao percentual de 75%, normalmente oferecido pelas companhias aéreas após dois anos de aceitação da agência pela IATA. Embora não haja obrigatoriedade, em geral, são oferecidos dois bilhetes por companhia/ano.

AGENTES ECONÔMICOS DO TURISMO
São considerados agentes econômicos do turismo os turistas, os excursionistas, as empresas turísticas e os estabelecimentos turísticos (EMBRATUR, 1992).

AGROTURISMO
Denominação dada ao deslocamento de pessoas a espaços rurais, em roteiros programados ou espontâneos, com ou sem pernoite, para fruição dos cenários e observação, vivência e participação nas atividades agropastoris. Destacam-se aqui dois grandes aspectos que distinguem esse segmento do turismo rural. O primeiro é a produção agropastoril em escala econômica que representa a maior fonte de rendimento da propriedade e, o turismo, receita complementar. O segundo é que as próprias atividades agropastoris constituem, em si mesmas, o principal diferencial turístico. Neste caso, os turistas, para viverem a autêntica experiência da vida no campo, poderão ou não participar de uma rotina diária dos afazeres domésticos ou produtivos da propriedade. As instalações e equipamentos mantêm-se de forma original, tal qual utilizada pelos proprietários e trabalhadores e, se ampliadas para adicionalmente acomodarem os visitantes, deverão conservar as mesmas características arquitetônicas (BENI, 1999).

AGÊNCIA
É a empresa que, em geral, apenas comercializa produtos turísticos; atende diretamente o público consumidor (varejista) (SÃO PAULO, s.d.).

AGÊNCIA DE VIAGENS E TURISMO
São empresas organizadas que tem a função de serem intermediárias de todos os serviços turísticos, permitindo o encontro da demanda com a oferta de serviços, além de prestar assistência turística aos viajantes ou turistas.

ALBERGUES DA JUVENTUDE, ACOMODAÇÕES DE TIPO SOCIAL E HOSTELS
Para atender ao turismo social, cuja principal característica é a de ser subsidiado, são utilizadas variadas instalações, desde hotéis, a campings ou chalés, tendo em comum a localização conveniente, o auto-serviço e a polivalência das facilities - que permitam seu uso alternativo e sucessivo, em períodos de tempo diferentes, por grupos etários e econômico-sociais diferentes.

ALFABETO FONÉTICO INTERNACIONAL
A: ALPHA B: BRAVO C: CHARLIE D: DELTA E: ECO F: FOX G: GOLF H: HOTEL I: INDIA J: JULIET L: LIMA M: MIKE N: NOVEMBER O: OSCAR P: PAPA Q: QUEBEC R: ROMEU S: SIERRA T: TANGO U: UNIFORM V: VICTOR W: WHISKY X: XADREZ Y: YANKEE Z: ZULU

ALL INCLUSIVE (TUDO INCLUÍDO)
Esse conceito refere-se a um sistema de viagem pré-paga, sem surpresas de última hora. São planos de hotel nos quais são incluídos, além do pernoite e refeições, todos os extras - lavagem de roupas, bebidas alcóolicas etc. incorridos pelos hóspedes. Atualmente, são bastante promovidos nos resorts do Caribe. Uma viagem típica pode incluir, por exemplo: passagem aérea de ida e volta, translado aeroporto/hotel/aeroporto, coquetel de boas vindas, hospedagem completa, com três refeições, lanches, consumo de sucos naturais e bebidas nacionais, inclusive alcóolicas, vinhos servidos durante o jantar. Além disso, são oferecidas atividades de lazer, recreação, entretenimento, diurno e noturno, em vários idiomas, mais o cuidado com crianças e esportes. Cigarros, taxas e gorjetas também fazem parte deste pacote. Mas essa não é a última palavra, pois uma rede hoteleira acaba de lançar um programa que vai um pouco além do all inclusive, é o Essentials, que elimina a necessidade de arrumar e carregar malas, pois oferece ao turista, após a chegada, a possibilidade de, na boutique do hotel, escolher roupas esportivas e formais, sapatos, produtos de higiene e maquiagem, roupas de praia, a própria mala, etc.

ALOJAMENTO TURÍSTICO
Segundo a OMT (Recomendaciones sobre estadísticas del turismo. ONU, NYC, 1994), "considera-se alojamento turístico toda instalação que regularmente (ou ocasionalmente) disponha de lugares para o turista passar a noite". Dividem-se, para fim de classificação, em estabelecimentos de alojamento coletivos e alojamentos coletivos privados. 1. Os estabelecimentos de alojamento coletivos agrupam-se em: 1.1 Hotéis e estabelecimentos para hoteleiros: 1.1.1 Hotéis: compreende, também, apart-hotéis, motéis, clubes residenciais e outros com serviços hoteleiros complementares à arrumação do quarto; 1.1.2 Estabelecimentos parahoteleiros: pensões, casas de hóspedes, albergues, residências para turistas, com serviços hoteleiros limitados à arrumação do quarto. 1.2 Estabelecimentos especializados: 1.2.1 Estabelecimentos de cura: estações termais, balneários, clínicas, sanatórios de montanha, centros de convalescença, geriátricos etc.; 1.2.2 Acampamentos de trabalho e férias: alojamento para atividades em férias, como trabalhos agrícolas, arqueológicos e ecológicos, colônias e povoados de férias, acampamentos de escoteiros, refúgios de montanha; 1.2.3 Alojamento nos meios de transporte coletivo: alojamento, com instalações para dormir, associados aos serviços de transporte, em geral em trens e barcos; 1.2.4 Centros de conferência: alojamentos especialmente equipados para congressos, cursos etc. 1.3 Outros estabelecimentos coletivos: 1.3.1 Alojamento de férias: compreende as instalações coletivas, como conjuntos de chalés organizados em alojamentos do tipo apartamento. Não se incluem limpeza e arrumação do quarto; 1.3.2 Alojamento de camping turístico: instalações coletivas em recintos fechados para acolher barracas de camping, mobil homes etc.; 1.3.3 Outros estabelecimentos de alojamento coletivo: albergues da juventude, lugares de férias para 3a idade, alojamentos para empregados de empresas, residências escolares e similares, com administração comum e, geralmente, subvencionadas. 2. Os alojamentos turísticos privados são: 2.1 Vivendas em propriedade: apartamentos, vilas, chalés, segundas-residências. Também em tempo compartilhado; 2.2 Quartos alugados em casas particulares: o turista participa da vida da família e paga um aluguel; 2.3 Quartos alugados em vivendas familiares ou agências profissionais: apartamentos, vilas, casas, alugadas em totalidade a famílias; 2.4 Hospedagem proporcionada gratuitamente por familiares ou amigos; 2.5 Outros alojamentos particulares, ex.: embarcações.

ALOJAMENTOS TÍPICOS OU TRADICIONAIS
Estabelecimentos existentes na maior parte dos países, sob diversos nomes - albergue, na França; pousada, em Portugal; parador, na Espanha; inn, na Inglaterra - situam-se, geralmente, em pontos estratégicos de regiões turísticas, em pequenas cidades de interesse histórico, estradas turísticas, montanha, parques nacionais, campo. Sua capacidade é pequena, cerca de 5 a 30 apartamentos. A arquitetura caracteriza-se pelo valor histórico da construção: casas rústicas autênticas de 100 ou mais anos de idade, casas de estilos antigos, velhos moinhos, mosteiros. No setor de A & B, é usual um restaurante confortável, do estilo e época da casa. Os pratos típicos são preparados, com carinho e artesanalmente, pelos proprietários.

ALTITUDE
Distância vertical de um ponto da superfície da terra em relação ao nível zero que é o nível do mar. A altitude é uma cota absoluta e não deve ser confundida com altura que é uma cota relativa.

AMBIENTE
Conjunto de fatores bióticos e abióticos que atuam sobre os organismos e comunidades ecológicas determinando sua forma e desenvolvimento. Condições ou circunstâncias que envolvem as pessoas, animais ou coisas. 2. Conjunto de condições que envolvem e sustentam os seres vivos no interior da biosfera, incluindo o clima, solos, recursos hídricos e outros organismos. Soma total das condições que atuam sobre os organismos (=Meio).

AMENITIES
São itens ou atos cujo principal propósito é trazer prazer aos outros. Por exemplo, uma cesta com sabonetes, shampoo, sais de banho, colônia, etc. no banheiro dos hóspedes pode trazer uma satisfação adicional.

AMERICAN PLAN
São acomodações hoteleiras com três refeições incluídas no preço do quarto. Também conhecido como pensão completa.

ANGRA
É uma abertura que aparece no litoral geralmente alto formando uma reentrância para o interior do continente onde ocorrem também uma série de pequenas ilhas. Ex. Angra dos Reis - RJ.

ANIMAÇÃO TURÍSTICA
É o conjunto de ações e técnicas dirigidas a motivar, promover e facilitar a maior e mais ativa participação do turista nos desfrute e aproveitamento de seu tempo turístico, em todos os níveis e dimensões que este implica. (RIVA, 1983). 2. É o conjunto de atividades que objetivam humanizar as viagens, oferecendo ao turista a possibilidade de participação ativa, de tornar-se protagonista de suas férias (...) A animação pressupõe que o turista participe ativamente, como por exemplo, participar de uma ciranda, onde o turista é induzido a fazer parte do espetáculo (BARBOSA, 1995).

ANTROPOCENTRISMO
O pensamento antropocentrista atua na dicotomia entre a natureza e o homem, sendo delegado a este último o direito de controle e posse sobre os recursos naturais através da utilização de meios científicos e tecnológicos de que dispõe. "A natureza não tem valor em si, mas se constitui numa reserva de recursos naturais a serem explorados pelo homem" (DIEGUES,1994). Com isso, a herança cultural das atividades humanas junto à natureza é considerada legitima e benéfica, princípio este que aponta para uma perspectiva conservacionista na relação homem-natureza. A escola do pensamento ecológico que originalmente orientou este enfoque foi o Eco-socialismo/maxismo, de cujo tronco tem derivado nos últimos anos novas correntes ideológicas como o Novo Naturalismo, e a Antropologia Ecológica as quais vem influenciando as ações de parcelas expressivas do movimento ambientalista atual.

ANTROPOLOGIA
"Designa um corpo de disciplinas que se consagram ao estudo dos grupos humanos sob o prisma dos tipos físicos e biológicos (antropologia biológica/física e paleontologia humana) sob o prisma das formas de civilização sem escrita atualmente existentes (etnologia) ou passadas (arqueologia)" (AKOUN, 1972). Mas a Antropologia não se limita apenas ao estudo dos grupos humanos de sociedades tradicionais ou passadas, ela hoje é vista como um conhecimento global do homem e abarca este homem dentro de seu universo histórico e geográfico, aspirando chegar a um conhecimento aplicável em todo seu conjunto, que compreende a trajetória de vida deste homem, desde a época dos hominídeos até as sociedades urbano-industriais deste século e dos que virão. Neste sentido, Antropologia hoje está envolvida com estudos que se inserem em todas as áreas do conhecimento onde ocorra uma interrogação dos seres humanos sobre si mesmos e o "outro", que tanto pode ser vinculado a uma sociedade sem escrita (ou tradicional), como pertencer ás minorias (crianças, mulheres, negros, idosos, mendigos, etc.). O Antropólogo busca em outras áreas de investigação não apenas esboçar a especificidade de sua prática, como também organizar um referencial teórico que não delimite o campo antropológico a um espaço geográfico ou a uma cultura em particular (LAPLANTINE,1997). A Antropologia estuda o ser humano por inteiro, em todas as sociedades e em todas as épocas, tentando não só compreender, mas também explicar porque existe tanta diversidade e porque somos tão diferentes. É um estudo interativo, que deve levar em consideração as múltiplas dimensões dos seres humanos na vida em sociedade. Para tanto, embora evite falarem parcelamento do viver social humano, o antropólogo trabalha em algumas áreas bastante específicas que são a Antropologia Biológica ou Física, a Antropologia Pré-histórica, a Antropologia Lingüística ou Etnolingüística, a Antropologia Psicológica e a Antropologia Social ou Cultural (SILVA, 1999).

ANTROPOLOGIA SOCIAL OU ANTROPOLOGIA CULTURAL
A primeira privilegia o estudo das instituições (britânicos), a segunda o estudo dos comportamentos (americanos). Em síntese, podemos falar que estes conceitos são momentos de estudos antropológicos que se diferenciam conforme a abordagem ou escola adotada pelo pesquisador.

ANÁLISE AMBIENTAL
Processo que conduz ao conhecimento dos impactos ambientais ou ecológicos, e avalia suas conseqüências antes da implantação das atividades.

ANÁLISE DE DADOS
É a investigação de uma hipótese por meio de observações sucessivas, exame de cada parte de um todo, tendo em vista conhecer sua natureza, suas proporções, suas funções, suas relações e estudo pormenorizado; exame, critica. Técnica estatística que tem por objetivo determinar a influência de alguns fatores, capazes de modificar e de determinar os resultados obtidos.

APARADOS
Denominação regional do sul do Brasil atribuída ao relevo abrupto da Serra Geral.

APARTAMENTOS, CHALÉS, BUNGALLOWS
São as chamadas segunda-residência, ou residência secundária - o setor imobiliário que mais se desenvolve nas áreas de resort dos países desenvolvidos do ocidente. Seja chalé, villa ou flat, pode ser utilizado como residência de férias do proprietário ou ser alugado em bases de curto ou longo prazo a agências de turismo ou administrados na forma de condomínios.

APEX (ADVANCE PURCHASE EXCURSION FARE)
É a tarifa especial praticada no transporte aéreo regular de passageiros, em certas linhas, internacionais, que consiste em adquirir com antecedência o bilhete, que não é reembolsável nem pode ter mudança de data. Este sistema permite ás empresas aéreas de carreira competir, no mercado com os vôos charters (fretamento) utilizados pelos turistas.

APTIDÃO
Qualidade que faz com que um determinado objeto ou meio seja apto, adequado ou acomodado para um determinado fim (= Capacidade).

ARFAS IATA
Para facilitar o cálculo tarifário, a IATA dividiu o globo terrestre em três (03) áreas distintas, e baseado nestas áreas criou os benefícios e as restrições tarifárias baseadas na sazonalidade. 1. ÁREA 01: As três Américas, Groelândia, Caribe até Bermudas, Hawai e Ilha da Páscoa; 2. ÁREA 02: Toda a Europa até oeste dos Urais, Islândia, Ilhas Canárias, Açores e Madeira no Atlântico; 3. ÁREA 03: Toda a Ásia e Ilhas Vizinhas, Austrália, Nova Zelândia e Ilhas do Pacífico Oeste.

ASA DELTA, PARAGLYDER, PÁRA-QUEDISMO, BALONISMO [ECO]]
São atividades esportivas de vôo, sem sentido de competição (SÃO PAULO, s.d.).

ASAP
É a abreviatura utilizada em turismo, que significa "as soon as possible" (assim que for possível).

ASSOREAMENTO
Obstrução do leito de um rio, canal, lago ou estuário por areia, terra, lama, pedras e outros, geralmente em conseqüência da erosão das margens e encostas próximas.

ATENDIMENTO (AO CONSUMIDOR)
É o processo mercadológico em que atividades humanas são empreendidas com objetivo de satisfazer os clientes.

ATIVIDADE, ATUAÇÃO, AÇÃO
São usados indistintamente, embora possa se considerar a atividade como um conjunto de atuações e estas como um conjunto de ações.

ATOL
São recifes mais ou menos circulares em forma de coroa fechada, contendo uma laguna central que com o tempo será colmatada (entupida) transformando o arquipélago numa ilha. Ex. Atol das Rocas - BA.

ATOR
É o indivíduo ou grupo que têm interesse direto ou indireto de uso nos recursos costeiros ou nos ecossistemas e possuem o risco ou perigo de perda ou receberá um benefício de decisões destes usos (CRC, 1996).

ATRATIVO
É o elemento que motiva a visita turística; pode ser natural (paisagens, rios, cachoeiras, etc.) ou cultural (museus, festas tradicionais, construções de valor artístico ou histórico, etc.) (SÃO PAULO, s.d.).

ATRATIVO TURÍSTICO
É todo lugar, objeto ou acontecimento de interesse para o turismo (EMBRATUR, 1992). 2. "... todo elemento material que tem a capacidade própria, ou em combinação com outros, para atrair visitantes de um determinada localidade ou zona" (CERRO, 1992). 3. Constitui o componente principal e mais importante do produto turístico, pois determina a seleção, por parte do turista, do local de destino de uma viagem, ou seja, gere uma corrente turística até a localidade. Os atrativos turísticos podem ser naturais, culturais, manifestações e usos tradicionais e populares, realizações técnicas e científicas contemporâneas e acontecimentos programados.

ATRATIVOS DE EVENTOS
São aqueles em que um acontecimento constitui o principal fator para que o turista visite o lugar tais como: feiras, exposições, congressos, convenções e os acontecimentos especiais (que podem ser um evento esportivo, festivo, etc.).

ATRATIVOS DE SÍTIOS
Podem ser: a) Naturais: clima, paisagem, flora, fauna, etc.; b) Usos e costumes: manifestações culturais da população, vestígios de culturas antigas, etc.; c) Estruturas: características gerais das aglomerações urbanas ou as realizações técnicas contemporâneas (arquitetura moderna, sistema de transportes, etc.) (EMBRATUR, s.d.).

ATRIBUIÇÃO
A destinação de uma dada área ou de um recurso para um ou mais usos específicos.

AU COMPLET (FULL UP / FULLY BOOKED)
São expressões utilizadas para significar que um estabelecimento - hotel, restaurante ou outro, está completamente cheio e não pode mais receber hóspedes ou clientes.

AUTÔNOMO
É o Indivíduo que exerce habitualmente, sem qualquer vínculo empregatício, atividade profissional remunerada.

AVIFAUNA
Conjunto das espécies de aves encontradas numa determinada área.

AÇÃO
É a operacionalização efetiva dos objetivos planejados. 2. Medidas de gerenciamento específicas que podem ser desenvolvidas no processo de gestão (CRC, 1996).

ÁGUA
São as formas de água superficial (mares, rios, lagos, neve e gelo), sua disposição, monotonia ou movimento.

ÁGUA MINERAL
Água que emana de fontes contendo muitas substâncias minerais. De acordo com a predominância do sal contido em dissolução na água, as águas minerais podem ser: acidulo-gasosas; alcalinas; magnesianas; sulfídricas; ferruginosas; radioativas.

ÁGUA TERMAL
É a água cuja temperatura da fonte é superior à temperatura ambiente.

ÁREAS NATURAIS PROTEGIDAS OU UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
"São áreas que, por incluírem importantes recursos naturais ou culturais de difícil quantificação econômica, devem ser mantidas na forma silvestre e adequadamente manejadas. De uma maneira geral, são terrenos não utilizados ou mal utilizados para fins urbanos, agropecuários ou industriais, podendo ser florestas, mangues, montanhas, campos, desertos ou pântanos, que podem render mais benefícios se forem conservados no estado em que se encontram" (MILANO, 1989).

Fim do conteúdo da página